Sobre

Só amor pode transformar, só o amor me permitiu aprender e apreender para poder colaborar, facilitar e ajudar na cura de algumas questões da alma e do coração, é no amor que creio. A Formação académica é na área das ciências sociais, licenciatura em Animação sócio Cultural,  pós graduação em Neuro-Educação e Hipnoterapia. Facilitadora de Coerência Cardíaca pelo Instituto HeartMath e constelações familiares. São todas ferramentas que permitem trabalhar, com uma abordagem sistémica e holística.  Cada pessoa é uma peça Única deste grande universo e só nesta perspectiva consigo  ajudar a encontrar respostas, que transformem realidades. Responder a questões sem ter em vista uma transformação, não faz sentido.

O Trabalho com jovens começou em 1992 no Alto da Cova da Moura em projecto sócio profissional de integração social,  com foco no apoio à aprendizagem da língua portuguesa ajustado à realidade sócio-cultural. Em 1994 é aprovado um projecto pessoal para o programa Urban da Camara Municipal de Oeiras, onde apostei numa integração social consciente e atenta à realidade dos jovens do bairro. Não vale a pena apresentar propostas recreativas, quando existem tantas questões a precisar de respostas, sem as quais não lhes é possível alcançar o sucesso escolar e pessoal. Entre tribunais , policias, sentenças, julgamentos e muitas absolvições,  encontrávamos as respostas, surgia a melhor forma de aprender: a experiência , o exemplo, a confrontação com as escolhas de cada um, a humildade e a confiança no futuro.  A Camara municipal decidiu não continuar com esta abordagem sistémica e o projecto foi engavetado …por mim…

Paralelamente a este trabalho, a minha actividade na produção cultural e artística, em espectaculos, TV e ficção nacional,  permitiu-me uma visão sobre a forma como todos nós, adultos,  jovens e crianças, preenchemos massivamente os nossos momentos livres e de como estes nos influenciam: musica, humor, reality shows, novelas, revistas, noticiários, não deixando algum espaço com algo menos ruidoso que nos ligue ao nosso coração. Será esta uma forma de distrair as questões  do coração ?. É uma questão que fica no ar. Sim, porque eu tenho muitas questões por responder e com as questões de outros eu também respondo às minhas. Sejam benvindos.