Como DEIXAR de OPINAR Impulsivamente

O João tem 18 anos sente-se deslocado e decepcionado:

“Sinto que o pessoal está um pouco perdido, eu gosto de observar comportamentos e de andar nas redes, mas estou farto, esta pandemia revelou-me coisas sobre a sociedade em que estou a viver, que não gosto nada.As pessoas parecem loucas a dar opiniões sobre tudo… podem estar a centenas ou milhares de kilometros de distancia de algo que acabou de acontecer, e vão a correr para o Facebook a comentar a partir de suas casas como se estivessem na posse de todos os factos e das motivaçoes que levaram aquele acontecimento, agridem as pessoas verbalmente, ofendem e tiram conclusões… não pensam que essas pessoas tem sentimentos e motivos que desconhecem completamente, e além disso tem familiares envolvivos … não pensam em nada… é um vazio ,não sei que sociedade é esta, não sei como é que isto vai ser …deixa-me triste”

Sempre me fascinou a Sobriedade e a lucidez dos jovens. E é verdade que a chuva de opiniões sem conhecimento de factos são compulsivas/impulsivas, nas redes sociais. A reactividade e falta de ponderação nas opiniões é contrária à massa critica desejável em prol de uma análise construtiva.

Antes de avançar deixa me só dizer-te, que temos de dar graças às redes sociais. Pois elas deixam a nu, uma realidade que sempre aconteceu dentro de casa de cada um. A falta de ponderação na arte de opinar começa dentro de casa de cada um. As redes são um grande reflexo desta realidade.

Mas como é que mudamos o rumo desta opinião compulsiva?

Ser exemplo é sempre a melhor forma de mudar realidades… Primeiro, Não opinar, sobre os outros opinarem de tudo. Perceber que a impulsividade é uma reacção que corresponde a um modo de vida onde não existe a auto observação e ponderação… E com essa informação, desenvolver em nós , essa ponderação e auto-observação… deixando que cada um siga o seu caminho…

Quando saberei que estou equilibrado ?

No dia em que ao leres uma dessas reacções, não reagires “impulsivamente” com tristeza e ou indignaçao, mas com a compreensão de quem identifica de imediato o sistema em que essa pessoa vive e se movimenta … saberás que estás em equilbrio quando este tipo de comportamento não te trouxer tristeza… quando com amor e internamente não sentires essa decepção pela sociedade. Pensa sempre, que embora fosse melhor que agissem de forma diferente, as pessoas terão motivos para agir dessa forma…

“É confuso, não sei de conseguirei ficar indiferente”

Não é própriamente indiferença é tolerancia. Na pratica existirá um dia que passas por esses comentários, entregas ao universo. E segues em paz… nesse dia percebes que deixas-te de reagir às reacções dos outros, aceitando que esse é o caminho que escolheram fazer. Cada um de nós apenas pode fazer a sua parte. Não ser parte dessa massa de opinanços é já um grande serviço.

E como faço quando estiver no meio de colegas, e estas impuslividades surgirem ?

És o EXEMPLO que falávamos. Manifestas a tua opinião PONDERADA… de nao poderes ter opinião porque não conheces o quadro geral em que tudo aconteceu. Esse é um excelente exercicio porque estamos habituados à critica fácil e quando experimentamos fazer estes exercicios, quase sempre percebemos, que o nosso primeiro impulso interno é seguir os outros… é uma tentação social.

“Isso já me aconteceu, ir para casa chateado comigo mesmo, porque embarquei nas conversas”

É muito bom ter essa consciência, porque é através dela que consegues mudar. Percebe que antes de falar, tens de te observar. Escutar o que a tua mente te traz em primeiro plano. Se estiveres atento, estás sempre a tempo de não dar voz a essa tentaçao da tua mente e acederes à tua opinião ponderada. E isso é controlar a “impulsividade opinatoria”

“Deviamos aprender a treinar isto”

Tens razão, tudo começa numa re-educação emocional e no conhecimento do funcionamento da nossa mente. Temos campos de pensamento e hábitos de resposta prontos para sair. Mas não podemos esquecer que temos o controle. Os pensamentos são criados na nossa mente, antes de os manifestarmos em opiniões/frases. Quando aprendes a observar os teus pensamentos é como se eles passassem por um controle de qualidade antes de os lançares para o mundo. E é neste momento que podes decidir ” não não vou dizer isto , não vou atrás”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s