Traído Vs Trocado Quando aparece alguem de repente!

O Marcelo quer tentar perceber de que forma se deve organizar emocionalmente após a sua relação de dois anos ser inesperadamente terminada pela companheira.

-Ana estava tudo bem… não consigo encontrar sentido nenhum nisto, a Vanda diz que não , mas eu sei que ela me traiu.

-Porque dizes isso ?

-De um dia para o outro terminou com o pretexto que precisa de estar sozinha… na semana seguinte, faz post no Instagram como se eu tivesse deixado de existir, tirou as nossas fotos, no TicToc começa a mostrar-se disponivel, estou confuso… acho que já está noutra e eu esperançoso que tudo volte!”

-O que te disse exactamente quando terminou ?

– Disse que estava confusa, que não se andava a sentir muito bem e que precisava de ficar de fora da relação ! Que tinha sido tudo muito bom comigo, que eu seria sempre especial. Fiquei em choque …sem saber muito bem o que dizer… depois tentei encontrar motivos… talvez com tudo isto da pandemia ela estivesse assim…continuei esperançoso!

-Mas ela deu-te esperanças ?

-Nem sei bem!… disse me que não sabia de nada, precisava de tempo sozinha e de se encontrar, mas que eu era importante!

-Dizes que achas que te traiu porquê ?

-Sei que anda muito próxima de outro rapaz… Falei com a melhor amiga dela com quem desabafou… dizia que estava confusa… tinha sentido uma coisa estranha na presença de um amigo comum… e segundo sei , agora andam sempre juntos !

-Como sabes, aos nossos melhores amigos falamos de tudo, mesmo do que não sabemos, das duvidas, de disparates que nos passam pela cabeça… por isso eu no teu lugar focava-me apenas no que sentes, se ela traiu vais acabar por saber.

Mas vamos por partes:

-A Vanda disse te que estava confusa certo ?

-Sim …precisava de tempo sozinha!

-Tu desconfias que a confusão dela é devido a outra pessoa, e que quer estar sozinha, para saber o que fazer ?

-Eu acho que sim…

-O que poderia acontecer se ela te dissesse que tinha duvidas e que estava atraida por outro rapaz ?

-Eu talvez terminasse tudo para não correr riscos, eu sei o que quero !

– Achas que ela deveria ter partilhado isso contigo, podendo correr esse risco ?

-Acho! acho que seria o correto… em vez de me estar a fazer de palhaço!

O Ideial em cada relação seria podermos ter esta frontalidade que o Marcelo refere. O que ele não sabe é que essa frontalidade não deve ser necessária para que o outro não se sinta “palhaço” como referiu, mas sim por existir um grande domínio, equilibrio e maturidade emocional. Obvio que com apenas 19 anos e pela primeira vez numa relação o Marcelo só pensa assim por se encontrar na posição de vitima e de PALHAÇO. Nesse sentido continuei:

-Ok! vou colocar a questão de outra forma, acompanha-me neste raciocínio: Inesperadamente ao falar com outra miuda,sentes um click… Ligas de imediato à tua namorada ?

-De imediato não ?

-Porque não ?

-Porque poderia ser uma coisa de momento …primeiro tentava perceber o que era , mas não a traía, tambem não acabava logo a relação!

-Imagina que os dias passavam e aquela pessoa não te saía da cabeça! Estamos em pandemia e não temos tanta proximidade, é mais fácil ela não perceber que algo se passa … quanto tempo darias até falar ?

-Não sei… o facto de estar mais distante… talvez me ajudasse a perceber melhor… se lhe contasse ela iria querer saber quem era a outra pessoa…e ficava tudo mais confuso, os ciúmes, os medos, as inseguranças… afinal também tinha de proteger me a mim, a relação caso continue e a outra pessoa! A questão na prática é só minha, não estava a trai-la .

Virar o jogo ao contrário é um exercício que temos de aprender a fazer. Quando nos colocamos na posição do outro, conseguimos encontrar motivos que nunca alcançaríamos na posiçao de vitimas. Através desta visão o Marcelo encontrou alguns motivos que o poderiam levar a não revelar uma atração à namorada… estar no lado da duvida levanta outro tipo de questões!

Continuando:

-Agora imagina que começas a não ter vontade lhe ligar…Percebes o desinteresse e dizes que precisas de um tempo. Vais dizer que é por causa de outra pessoa ?

-Pois, não sei… na prática o problema estava em mim… se lhe fosse falar em outra pessoa ela ia logo pensar que a andava a trair…é um pau de dois bicos… parece que quando nos interessamos por alguem quando estamos numa outra relaçao somos sempre apontados como traidores… mesmo nunca tendo traído… já vi isso acontecer a alguns amigos!

-É um sinal de respeito parar a relaçao… para não trair o outro ! – disse

-Mas nunca saber o que aconteceu não é justo ! Imagine que ela resolve voltar , eu preciso de saber o que se passou , senão a relação nunca mais ver ser a mesma!

-Na realidade a relaçao nunca mais vai ser a mesma. A forma como tratarem este assunto vai determinar se avançam numa relação mais forte e adulta ou numa relação condenada ao medo e á insegurança… Obviamente que para construir uma relação mais forte não podem existir segredos.

-Mas eu sinto-me traído , para mim isso é traição ela trocou-me por outro !

Podes nem ter sido TRAIDO nem TROCADO… pelo menos assim vejo

Ninguem está livre de se apaixonar loucamente por outra pessoa, quando está em outra relação.

A Forma como cada um reage à vontade por vezes impulsiva e descontrolada de estar com alguem que lhe despertou todos os sentidos é o que vai determinar se comete uma traição ou não. Se pedir para parar a relaçao antes de se envolver com o outro isso é um abandono … mas não uma traição.

Quanto ao sentimento de ter sido TROCADO…Existem vários niveís de amor, de interesse pessoal e de atração, que despertam em nós novos sentidos… Na adolescencia estamos num crescimento e movimento evolutivo constante, é muito comum que de um dia para o outro tudo mude. Novas competências fisicas , psiquicas e sociais, novos conhecimentos, desenvolvem afinidades com outro tipo de pessoas, não existem trocas de pessoas, mas sim de interesses pessoais.

A pergunta final do Marcelo: “Abandonar uma relação e começar logo outra é traição ou não ?”

Trair, no contexto de relaçao de casal, é manter uma relação paralela com duas pessoas ao mesmo tempo sem que uma delas , ou as duas saibam da existencia uma da outra.

Respondendo à pergunta do Marcelo, na minha prespectiva, acabar uma relação para se envolver numa seguinte, pode não cair muito bem a quem foi supreendido, mas não indica uma traição. São substituições de parceiro que acontecem quase de forma automática… Na minha prespectiva, pedir para parar assim que se sente algo por outro, revela respeito e honestidade … É uma gestão complicada de ser feita e o pior é que quase todas as pessoas que viveram dilemas destes e pararam o relacionamento anterior assim que surgiu interesse por outro, são chamadas de “traidores” quando a unica coisa que existiu foi um rompante emocional que virou o seu campo emocional de pernas para o ar.

Não posso pedir ao Marcelo que concorde, talvez a vida lhe mostre o quanto dificil pode ser esta gestão. Talvez a atitude da Vanda daqui a uns anos seja vista por ele como respeito e coragem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s