O Nosso vulcão

Fazemos parte de um grande sistema.

Há poucos dias o meu marido convidou-me para ir com ele ao supermercado, seria um convite comum não estivesse ele no Dubai e eu em Sintra e não fossem essas compras para fazer com o apoio do Zoom e em partilha de écran. O Luis está a trabalhar na Expo 2020 no Dubai. Pensei que ir às compras com ele, poderia ser uma experiência emocionante, tenho sempre alguma curiosidade em conhecer a gastronomia e propostas de diferentes culturas… Um pouco ingénua ou pouco perspicaz porque , na realidade ir ao supermercado ao Dubai é mais ou menos o mesmo que ir ao Pingo Doce em Mem-Martins …

Estamos todos a comer, a beber, a limpar a casa , e a usar o mesmo papel higiénico em qualquer parte do mundo… ou seja, parte tudo da mesma fonte… o que quer dizer que qualquer problema que exista a nível global nessas fontes, poderá afetar a economia familiar de uma ponta a outra do mundo !

Estou triste, não só com o facto de saber que desvirtuámos todo o comercio e produção locais , que nos tornámos consumidores sem critérios e sem respeito à natureza que nos rodeia , mas principalmente porque essa nossa estupidez e falta de responsabilidade pode ter afectado brutalmente a terra que nos alimenta.

Do Xamanismo à mitologia os vulcões são vulgarmente representados por figuras que procuram uma vingança impáravel , a raiva que não dá tréguas , os maus humores descontrolados de algum deus ou deusa… O vulcão de las Palmas está imparável e parecendo longe está muito perto de cada um de nós.

Ontem escutava um astrologo dizer: ” o que se passa dentro da terra, passasse dentro de cada um de nós!”… Talvez não esteja errado…

Estou triste porque sinto que continuamos a achar que o que está longe só afeta os outros… e sinceramente não sei como podemos pensar e sentir assim, quando ao mesmo tempo que eu limpo a sanita do meu WC com CIF em Portugal o meu marido limpa a Sanita do seu apartamento no Dubai com o mesmo produto, até fazemos o mesmo jantar de almôndegas vegetarianas do IKEA …como poderemos ignorar e passar ao lado de catástrofes que acontecem em lugares distantes, convencidos que não nos afetam ? o que é que nos falta entender para perceber que o a dor da terra num lado irá afetar o outro ?

Hoje não há muito mais a dizer, decidi fazer um pequeno resumo do que encontrei sobre os vulcões, a informação foi retirada de um artigo de Monica Babosa. (https://www.tempo.pt/autor/monica-barbosa/)

No início da Idade Média, no ano 535 d.C. começava um dos piores períodos para estar vivo. Um evento catastrófico com o vulcão Ilopango (El Salvador), bloqueou a luz do sol durante 18 meses, provocando um  inverno vulcânico, com muito frio e precipitação ácida, com terríveis consequências para a civilização.

Em 1257, o vulcão Samalas em Lombok (Indonésia), teve uma erupção tão poderosa que a massa de partículas vulcânicas expelidas circulou na atmosfera desequilibrando o clima global.

Em 1452, eclodiu o vulcão Kuwae, em Vanuatu (Pacífico), redesenhou a ilha numa gigantesca cratera e lançou para a atmosfera 35 kmᵌ de material vulcânico, que diminuiu as temperaturas durante cerca de dois anos.

Durante 8 meses, entre junho de 1783 e fevereiro de 1784, a fissura vulcânica de Laki (Islândia) esteve violentamente ativa. Para além da lava, compostos venosos acabaram por contaminar o solo e destruir milhares de plantações, que se reflectiu na escassez de alimentos, dizimando mais de 50% da fauna e provocando a morte a mais de ¼ da população da ilha.

Em 1815, a erupção explosiva do Monte Tambora (Indonésia), foi sentida a mais de 2 mil km de distância, libertou 180 kmᵌ de matéria e escureceu o céu num raio de 500 km durante três dias,  cerca de 100 mil pessoas morreram.

Em 2021 um vulcão nas ilhas canárias entra em erupção dia 19 de Setembro. Em 2017 a actividade sísmica de que a ilha foi alvo, fez disparar preocupações, pois a erupção do vulcão poderia provocar um megatsunami com cerca de 600 metros … que o faria chegar a Gibraltar… ou quem sabe ao outro lado do atlântico… Estamos a aguardar … Dia 1 de Outubro o vulcão não dá tréguas e avança até ao mar podendo criar uma enorme toxicidade para a atmosfera… Estamos a aguardar…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s