ONDE ESTÁ O (MEU)”ANJO”

“Estou cansada, estou esgotada… preciso de mudar alguma coisa! …estamos em pleno sec XXI … talvez a minha mente tenha ficado no século XX … sinto que avancei em algumas questões mas em outras… crenças desajustadas que não me deixam avançar… sinto-me presa, a conceitos sociais e culturais que não me deixam tomar decisões… é como se soubesse que deveria ser diferente, fazer diferente… mas ESTOU PRESA… Prisioneira de algo… é como se a minha alma me pedisse uma acção, sinto-o no meu peito … como se algo pedisse para saltar … revelar-se algo… mas parece que não consigo…sinto-me a rasgar por dentro… é uma corrida interna, como aquelas dos sonhos, em que estamos a fazer um esforço enorme , mas não conseguimos sair do mesmo lugar … SEI que não é possível continuar assim …, mas não sei como o fazer… estou ancorada num lugar que não conheço … PRESA ou PRISIONEIRA… UMA PARTE DE MIM ESTÁ REFEM de algo que desconheço … Dói-me o peito… apetece me gritar mesmo sem voz”

A Julia está esgotada… ligou, precisava de alguém que a escutasse… e assim foi…

– Há uns dias perguntaram-me qual era o meu anjo da guarda… Não quero ser ingrata, porque tenho tido um bom percurso… mas quanto ao anjo da guarda, julgo que alguém levou o meu por engano… ou o trancou num quarto e se esqueceu dele… talvez tenha ficado preso num qualquer filme de ficção…e deixou me a fazer tudo sozinha… Ainda assim tenho-me guardado bem, sem o tal anjo… ou com o meu anjo adormecido!

– Se o anjo lhe faz sentido , Já experimentou chamá-lo ?

-Como ? como se chama um anjo da guarda ?

– Como se leva um anjo da guarda por engano ? ou como se tranca um anjo num quarto ? Ou fica num filme de ficção ?

-Pois…não sei…Foi o que me ocorreu!

-Vamos usar então essa sua analogia…Feche os olhos…. Imagine que o seu anjo da guarda está a sua frente …. consegue imaginar ?

-Consigo …

– Continue de olhos fechados e respire fundo … (Julia respirou bem fundo algumas vezes )…imagine que encontra o seu anjo da guarda… onde é que ele está ?

– Acho que está numa cave de uma quinta… ou num sótão… não dá para perceber muito bem …está a dormir… o espaço está um caos… este anjo é um bocado desorganizado… há uma janela… e muito café…há café por todo o lado… estranho cheira a café… acabado de fazer… é agradável o cheiro … eu gosto muito do cheiro de café…

-Foque-se no anjo, como está ?

-Continua a dormir… está ferrado… e , muito despenteado… e eu acho que, até ressona… não parece nada um anjo… costumam ser silenciosos e harmoniosos… mas, este meu anjo …parece mais um pequeno rebelde…

-Experimente acordá-lo … acha que consegue ?

-Sim consigo .. estou a aproximar-me dele… vou fazer um som !… Humm Hummm Hummm

-E então ?

-Está a mexer-se …e a bocejar … mantém os olhos fechados … (Júlia faz uma pausa) ai ai ai ai vai abrir o olhos e…

(Anjo) -Finalmente Julia… chegas-te… estava a ver que não ! Aposto que vieste atrás do cheiro do café … desde miúda que gostas do cheiro … já tentei todas as marcas , parece que esta funcionou …

-Não estou a perceber ?! – exclamou a Julia – E como sabes o meu nome ? e sobre o café ?

(Anjo)-Nós já estivemos juntos …. brincámos muitas vezes… ajudei a evitar-te alguns arranhões e quando a tua irmã te empurrou do cavalo, fui eu que te agarrei… outras vezes deitei me no chão para caíres em algo mais fofo…adorei ser o teu anjo… embora me desses muito que fazer … eras um bocado irrequieta… mas muito divertida!

-Ah okkkkkk – o cepticismo da Júlia revelava se e continuou – blablabla a velha história das crianças e do anjo …

(anjo) – Pois muito antiga mesmo a história…

– Mas como vieste aqui parar ? Há quanto tempo aí estás ?

(Anjo)-Sabes que os anjos não tem anos, nem horas… mas já estou aqui há muitos sonhos, muita musica e muitos cafés… para te acordar bebi tanto café … acho que bebi café por todos os anjos… Mas respondendo á tua pergunta… Estou aqui fechado ainda eras miúda.. não sei o que aconteceu, mas vim aqui parar… fiquei longe dos teus sonhos… dos teus cantos… das tuas danças… da tua escola …

-Mas como não consegues sair daqui ?

(Anjo)-Não sei que sitio é este….ás vezes parece que estou numa cave, outras num sótão… quando subo a escadas parece que desço, quando desço parece que subo… o certo é que por muito que tente,,,não consigo sair do mesmo lugar …

-Quando foi a última vez que estivemos juntos ? – perguntou a Julia.

(Anjo)- Foi um dia estranho, tu choravas, a tua mãe chorava… sei que estavas com muito medo… correste para o teu quarto e choras-te até adormecer… recordo-me que não consegui fazer nada para te animar…

-Sim eu lembro me disso – Recordou a Julia- foi no dia da morte do meu irmão a minha mãe estava zangada e disse -me, “Não podemos contar com ninguém filha, confiar em NINGUÉM… isto é muito injusto, ninguém ajudou, nem deus , nem jesus , ninguém … “

(anjo)- Suponho que isso fosse também para Anjos…

– Sim Anjos incluidos… a partir desse dia deixei de rezar à noite … comecei a ter cuidado com tudo … comecei a viver alerta , a próxima poderia ser eu …

(anjo)- Pois e … deixas te de confiar em mim …

-Queres dizer que talvez tenha sido eu quem te deixou nesse lugar estranho ? … quando falas de sótão e cave só vejo dois lugares escondidos … um na na mente e outro no coração !

-Pós e se assim é, quer dizer que só tu me podes tirar daqui!…

Tudo o que conseguimos imaginar é realidade para a nossa mente, a visualização e a conversação são modelos que permitem a ressignificação de realidades que construímos algures.

A Júlia abriu calmamente os olhos … o silêncio externo revelava um grande diálogo interno…e assim ficou

Essas realidades adoptamos para nossa sobrevivência ao momento , e como nos marcaram profundamente, acreditamos que são a solução para a nossa segurança futura … mas não é bem assim, os traumas encerram nos numa única acção e não nos permitem ver além, ficamos ali agarrados à solução milagrosa do momento e acreditamos que se sairmos dali corremos perigo …

Assim como a Julia muitos de nós deixamos trancadas boas e úteis competências que comprometem e dificultam o nosso caminho.

Que cada um de nós consiga libertar o seu anjo da guarda, que converse com ele, que o chame e mesmo que não acredite em anjos… imagine , permita-se imaginar como seria o seu, talvez um cão , ou um gato, um papagaio, um elefante ou um miúdo despenteado… A imaginação não tem limites…

O mundo de cada um é feito daquilo em que acreditamos…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s