NOVOS JOVENS NOVAS PESSOAS

Muito se tem escrito sobre as novas gerações. Novas expectativas, crenças e novos modelos de vida ,parecem estar a nascer de forma natural. Parece que os novos jovens, se recusam a repetir alguns padrões das gerações anteriores. Padrões que aos seus olhos roubaram qualidade de vida, aos seus pais e avós.

Estas linhas são uma reflexão, sobre alguns dos nossos jovens:

Sobre os jovens que não querem ser como os seus pais, considerados excelentes profissionais mas, sem qualidade de vida… Pais que investiram todo o seu tempo útil a trabalhar arduamente em prol de empresas de outros, sem espaço para gerir a sua grande EMPRESA FAMILIAR, perdendo o crescimento dos filhos, da sua relação e perdendo também oportunidade de evoluir pessoalmente!

Sobre os jovens que não querem ser como muitos dos seus professores… Debitantes de Matérias sem preocupação das suas audiências, nem sobre as aquisições de competências para o futuro…

Sobre os jovens que não querem ser como os estudantes das gerações anteriores … que se limitavam a decorar matérias, para as esquecer logo a seguir… Que se matavam a estudar e a viver em tsunamis de ansiedade, perdendo semestralmente qualidade de vida, para dar respostas positivas a EXAMES criados por concelhos disciplinares ou grupos de professores, (nem sempre os mesmos que leccionaram), cujo objectivo é criar diabólicos exercícios, nunca abordados em aula, avaliando injustamente competências que não lhes foram entregues …

Sobre os jovens que por observarem a decadência do sistema, estão a DESISTIR, não querem ser parte de um SISTEMA hipócrita, que rejeita as evoluções sociais e culturais… Programas educativos, com leituras obrigatórias, que há muitas gerações não são lidos mais que os resumos e cujos conteúdos são absurdos para os novos tempos… Os “Maias” deverão ser integrados em história da cultura portuguesa…

Sobre os Jovens que não conseguem perceber como o sistema não entende, que as Leituras obrigatórias dos programas educativos são os primeiros a afastar, há várias décadas, os jovens de hábitos de leitura… Jovens que conseguem ver o quanto neste contexto é absurdo e contraditório os projectos do “Plano Nacional de Leitura”…

Sobre os jovens que acusam o cansaço das ultimas gerações com “vidas estudantis” sob pressão de um sistema EDUCATIVO completamente desajustado e contraditório à sua evolução… Cansados de ser ferramentas de competição: de rankings para vender matriculas em colégios, das avaliações aos professores, dos professores em depressão por um sistema em ruptura…

Sobre os Jovens que pedem finalmente coerência ao sistema educativo que há muito ANUNCIA que se tornou para TODOS e não apenas para alguns…

Sobre os jovens que querem sair do ensino superior com ferramentas de trabalho pratico em vez de APENAS um diploma em forma de canudo!

Sobre os NOVOS JOVENS …

Talvez estes CONSIGAM, através do seu desinteresse das caducas formas de avaliar, que o SISTEMA seja REPENSADO …

Alguns estudos ( não oficiais) revelam que o QI das novas gerações, está mais baixo que o dos seus pais!… pois, se calhar está, e se calhar AINDA BEM! Talvez o QI tenha sido a maior das armadilhas para prender as gerações anteriores a um sistema absurdo de exploração profissional e académica !

Talvez os novos jovens estejam a sentir REALMENTE que querem ser felizes na escola, nas universidades e na profissão e, produzir ao mesmo tempo, que tudo não tem de ser um sacrifício e uma escravatura disfarçada… Estarão eles a reinvindicar serem vistos como seres com INTELIGÊNCIA EMOCIONAL (‘?) A boa noticia é que parece que estão a DESISTIR deste SISTEMA ou pelo menos é notório que vão desistir mais tarde que as gerações anteriores…

Finalmente as novas gerações começam timidamente a dar os seus passos em direcção à mudança…É preciso vê-los… é preciso escutá-los, é preciso senti-los!

O governo português começa a dar sinais de preocupação sobre o numero de jovens qualificados que procuram oportunidades fora do país… A zanga destes jovens não começa apenas com o mercado de trabalho, esta é a oportunidade que tem de manifestar o seu descontentamento pela forma como foram tratados em todo o seu percurso académico, por um sistema educativo caduco e CEGO, que muitas vezes os colocou num tremendo esforço … nenhum filho bem tratado foge para longe, zangado. A mudança precisa de começar na base…

Da experiência que tive como mãe e encarregada de educação, assisti a reinvindicações “educadas” e “diplomatas” de jovens cheios de razão em relação ao funcionamento interno de algumas disciplinas, assisti também ao apoio não oficial, por parte de alguns professores. Mas na verdade, nunca assisti a nenhuma direcção dar-lhes ouvidos, mostrar que estavam certos, muito pelo contrario, recebíamos respostas com decretos de lei e assistimos a um lobie de “classe”, uns protegendo outros… nunca nada em prol da melhoria do sistema, da qualidade de ensino e da participação dos principais interessados!

A única forma de uma empresa repensar o seu produto é deixar de ter Clientes!!!!

Isto é apenas a curta reflexão de uma mãe atenta, ao percurso dos filhos e de muitos jovens…é também a reflexão de uma apaixonada pela educação, pela consciência do seu poder para mudar o mundo e também, de uma mulher empresária que aos 52 anos voltou ao ensino universitário, como estudante atenta … e acima de tudo, como OBSERVADORA!

Nota: Queridos professores, encarregados de educação e educadores em geral, não existe idade da prateleira… Acreditem que não!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s