Sei que se passa algo… mas ninguém me diz…!

O Filipe tem treze anos. Há uns meses que sente que o ambiente em casa está diferente. Os pais estão tristes, pouco comunicativos , deixaram de  fazer programas em família e sente a voz da mãe …diferente. -Há qualquer coisa  e ninguém me conta ! Que mistério será este que os está a deixar assim ? alguma doença ?  algum problema com o trabalho, com dinheiro, algum deles vai morrer ? haverá um(a) amante, Divórcio ?- todas as hipóteses são colocadas pelo Filipe e ainda a questão: – porque não partilham comigo…não serei suficientemente bom, para confiarem em mim ?

O Filipe sente-se inquieto e ansioso , não saber está a deixa-lo em grande sofrimento  “Sei que se passa algo, ninguém me diz nada, o que faço ? “

Que bom que o Filipe tenha colocado esta questão.  Os ambientes não mudam por acaso, são criados com os nossos estados de espirito. O ambiente familiar tem um código muito especial e quando sofre alterações, todos os elementos o sentem e por muito que se tente esconder, a mudança chega aos corações de todos antes de qualquer explicação.

Porque os pais não dizem o que se passa?

Muitas vezes os pais tem questões graves e tentam proteger os filhos, optando por o silêncio e a omissão do problema. Opção que por vezes, como no caso do Filipe, produz uma enorme inquietação e ansiedade, pois ele sente fortes alterações no ambiente “emocional” familiar,  mas não  consegue identificar as razões ou os motivos e isso deixa-o em sofrimento.

Pode acontecer que o proteccionismo dos pais com a ilusão de que está tudo bem,  conduza a resultados contrários e confusos:  por vezes os filhos sentem , mas   entram no jogo, protegendo os pais de ficar expostos e não perguntam, respeitando a sua escolha, mas com o tempo o ambiente vai-se degradando e o não partilhar o problema , pode levar o filho a achar que não é útil nem digno de confiança e por sua vez a ansiedade provocada pelo desconhecimento e pelos medos, pode dar origem a  alguns sintomas físicos, psíquicos e sociais;  ansiedade e desmotivação geral,  quebra no sistema imunitário e aumento de inflamações , descontrole fisiológico (chichi na cama etc)  desinteresse,  hiperatividade , revolta, negação e… começa tudo a girar num grande ciclo vicioso.

O que fazer ?

Partilhar é a solução! Quando sentes que algo está diferente em família, confia  e pergunta. Um jovem que sente que algo não está bem pode perguntar claramente se existe algo em que ele possa ajudar ?

As alterações no ambiente e energia familiar são sentidas por todos, por isso com atenção à capacidade e maturidade de cada um, os problemas  devem ser partilhados, para que todos se sintam parte, colaborem e co-criem uma solução, fortalecendo o espirito de união familiar. Quando cada um, à sua escala, participa nos problemas da família, também festejará em família quando tudo estiver ultrapassado. Sentindo-se parte do problema, também sentirá que foi parte da solução e da superação.

Dou sempre o exemplo da Constança. A mãe escondeu que tinha  cancro na mama. Nessa fase da vida, a Constança estava a estudar fora de Lisboa. No dia em que a mãe foi operada,   estava com o namorado em Paris.  Quando regressou e a mãe lhe contou finalmente o que se estava a passar, a Constança mesmo não sabendo de nada, sentiu uma enorme culpa por não a ter acompanhado e estar em diversão, enquanto a mãe estava em sofrimento. E o mais curioso, mesmo  a mãe tendo omitido a doença, a Constança confessou-me que tinha sentido que algo não estava bem e  agora achava, que deveria ter insistido em saber. Foi um misto de emoções: Ficou zangada porque a mãe não tinha o direito de ter escolhido o que seria melhor para ela,  se lhe tivesse contado, ela nunca teria ido para Paris! E se a operação tivesse corrido mal ? nunca se perdoaria não estar ao pé do pai e do irmão…Sentia também um misto de incapacidade e tristeza e questionou-se porque razão a mãe não a queria ao pé dela, não seria ela uma filha suficientemente boa, para a mae querer a sua companhia nesses momentos tão  difíceis?  Porque é que a mãe não a elegera como companheira de batalha ?… Pois é … a mãe ao querer proteger a filha, omitindo a verdade, gerou-lhe um grande sofrimento!

A experiência diz-me que os filhos querem fazer parte, precisam de fazer parte e sofrem muito, quando não sabem o que se passa… como poderei gerir algo que sinto e não sei o que é ? Desde pequenos que os filhos precisam e querem fazer parte, ao seu tempo e ao seu ritmo, cabe aos pais, contar a verdade, inseri-los na questão, existem soluções que encontraremos com eles e outras sem eles.., mas eles tem de fazer parte da VERDADE que está a afectar o ambiente familiar: seja uma doença, problema financeiro, divorcio  ou crise conjugal!

 

 

Um comentário em “Sei que se passa algo… mas ninguém me diz…!

  1. Antes de mais PARABÉNS por mais um projeto magnífico…
    Estou 100% de acordo com as tuas palavras…como mãe sempre optei por esta postura, uma vez que como filha senti essa lacuna…e provavelmente deixou marcas mas principalmente deixou uma opção e vontade de ser diferente…GRATA!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s