arrancados do Coração

Quando nos arrancam do coração !

Todos gostamos de ter o nosso lugar no coração de alguém…

A base de qualquer amizade…. A segurança de qualquer amizade é saber que o nosso lugar está seguro… e é muito dificil perder esse lugar …quando não encontramos motivos… quando nada fizemos para que assim fosse!

É inevitável: as acções dos nossos amigos, mexem com a nossa vida, julgo que isso é claro para todos nós, não somos ninguém para julgar as suas escolhas. No entanto não é fácil compreender o motivo pelo qual essas mudanças, alteram as dinâmicas que mantínhamos há anos.

E não perceber os motivos dessa mudança é fonte de angustia e de muitas questões:

O André e a Sofia conhecem-se há mais de 12 anos. A relação de amizade começou na faculdade no curso de engenharia e manteve-se intacta até hoje. O André já namorava quando se conheceram e a amizade com a Sofia cresceu pessoal e profissionalmente a par com as suas relações e posterior casamento. A Sofia teve alguns relacionamentos que não funcionaram. Há uns meses conheceu um empreendedor CEO de uma StartUp e o romance vai de vento em popa. Mas o André está angustiado:

-Sabe no inicio achei normal como amigo sentir algum ciúme, falámos abertamente sobre isso, para mim é inevitável sentir posse dos meus amigos. Quando conheci o novo namorado, o Carlos, gostei muito dele. Fiquei mais tranquilo. Mas neste momento as coisas estão a mudar sem que eu perceba o motivo. A Sofia evita-me, íamos sempre juntos para a empresa, começou a não querer ir comigo, até ai tudo bem, fica muitas vezes em casa dele. Mas o mais estranho foram as horas de almoço, temos refeitório na empresa e começou a evitar almoçar sozinha comigo, deixou de querer ficar na minha frente e o pior de tudo é que desde há uns dois meses nunca mais falou comigo sem ser na presença do Carlos e sempre em alta voz… nunca tivemos nada a esconder, mas como amigos sempre tivemos os nossos telefonemas e parece que ela de repente quer traze-lo para as nossas conversas, não sei se é por controle ou se acha que tem de ser assim. A minha companheira conhece a Sofia, ela sabe que temos este relacionamento, nunca permiti que se colocasse entre nós.

-Já lhe perguntou ?

Ela não me dá espaço para qualquer tipo de abordagem e confesso que até me sinto inibido … isto está a comer-me por dentro!

-Consegue descrever o sensação física que lhe surge ?

É algo muito profundo, a angustia parece-me visceral, não sei se é angustia, se é tristeza…

-Aproxima-se de algum sentimento/sensação num outro momento da sua vida ?

O André fez uma pausa longa, e os olhos dele vibraram como se a alma dele estivesse a enviar alguma informação á qual ele nunca tinha acedido.

Parece-me que sim ! Eu antes da actual relação, tive um relacionamento do qual saí muito magoado e sim o sentimento aproxima-se.

-O que aconteceu ?

Vivíamos juntos, eu adorava-a e ela de um dia para o outro apaixonou-se por outro rapaz e para mim foi muito dificil encarar a frieza com que ela decidiu tudo, mas acima de tudo o que mais me custou foi ser arrancado do coração dela sem mais nem menos, não achei que fosse possível, foi demasiado doloroso, eu não conseguia perceber como é que de repente ela me tratava com tanta indiferença, sem qualquer ressentimento, sem qualquer cumplicidade… eu senti um sofrimento dilacerante, até hoje não sei explicar e sim, neste momento, a indiferença da Sofia, está a provocar-me algo muito próximo desse sentimento, sinto que estou a ser arrancado do coração dela, é injusto… dói horrores, não consigo comer, dormir e a minha ansiedade disparou como nessa época!

-Voltando um pouco atrás, disse me que a dor que sentia é como se fosse visceral ?

Sim é algo que sinto profundamente no corpo, da garganta ao ao estomago sinto tudo a arder !

-Se é visceral e se já a sentiu antes numa outra situação é como se tivesse adormecida e fosse reactivado, como um vulcão emocional ?

Sim, a reacção a este assunto é profunda, os meus olhos ardem mesmo sem chorar, há uma memória profunda que é reactivada ao longo do meu aparelho digestivo ! Agora ao falar disto até parece que o estou a sentir é dramático, exagerado! Talvez vá para além da acção da Sofia…

-Provavelmente vai… e o desvinculo da vossa amizade, talvez seja a oportunidade ou o gatilho que necessita para aceder a um sentimento de perda ou de rejeição que ficou gravado na sua memória física e psíquica algures na sua infância.

-Engraçado, nunca tinha visto isto assim o sentimento é muito profundo e revive-lo não é bom… acho que consigo aceitar tudo mas ser arrancado, “Cancelado” da vida de alguém sem ter feito nada de errado é trágico…

Existiu alguma perda grande na sua infancia ?

-Que eu tenha memória não , sei que a minha mãe perdeu a minha avó, tinha eu seis meses e o meu irmão mais novo, recém nascido esteve às portas da morte foi um momento traumático para os meus pais, só sei o que me contaram, pois quando aconteceu eu tinha apenas dois anos.

O facto de não se lembrar não significa que não existam memórias ligadas a esse forte momento emocional. Se observarmos, não é dificil perceber que a nascença de um novo irmão é sempre um momento delicado, a falta de saude do seu irmão à nascença, provavelmente captou todas as atenções e preocupações e a sua pequena criança que tinha apenas dois anos, perdeu de um dia para o outro as atenções dos pais. Esta dinâmica pode ter criado a memória dolorosa perante uma perda, consequentemente a ansiedade, a falta de apetite e o sentimento de ser arrancado do coração quando alguém faz uma escolha da qual o Andre não faz parte.

-Não sei se foi assim, mas faz-me todo o sentido!

Observe que a hospitalização do seu irmão, provocou uma mudança abrupta de atenção numa idade onde os nossos pais são tudo para nós. A reacção à troca da sua EX e agora á indiferença da sua Amiga, que obviamente são situações tristes, em si provocam um tsunami emocional. A suas expressões “visceral”, “ser arrancado do coração” e sensações e manifestações físicas revelam memória associada a perda de atenção.

-Nunca nos ensinaram a olhar para a nossa história com uma visão mais ampla. Agora vou percebendo o que é inteligência emocional, porque desvalorizamos sempre tudo, como se as emoções não ficassem em nós ? Sempre olhei para esse episódio focado no pânico dos meus pais, nunca tinha colocado a questão como se seu fizesse parte do quadro, nem tão pouco equacionado no que me poderia ter afetado esse distanciamento repentino. Encarei sempre este sofrimento com os relacionamentos como se fosse uma coisa do meu ego, mas na realidade faz todo o sentido … a Sofia me fez chegar até aqui, a missão dela já foi enorme sinto me aliviado , como se a escolha dela pese menos… Não sei se esta boa sensação vai permanecer mas, neste momento sinto que não ter a atenção da Sofia e a nova paixão da minha EX, pode ter sido uma benção e a melhor rota para aceder a algo tão profundo – o André fez uma pausa e continuou-Sinceramente nem sei como lhe disse isto, mas é o que sinto!

Todos nós temos os RECURSOS que precisamos dentro de Nós e neste processo de orientação eu apenas o conduzo para que ACEDA A INFORMAÇÃO QUE SABE , MAS NÃO SABE QUE SABE! ( Frase de Cecilio Regojo)… não há nada mais gratificante que vê-lo chegar ao Sentido de Ser!

Quanto à Sofia , o Carlos terá uma missão na vida dela.

Uma vez nosso coração, para sempre no nosso Coração ! Fica sempre algo importante de cada um a quem nos damos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s